domingo, 27 de julho de 2008

O Homem das Cuecas Coloridas

O despertador o acordou às 6 horas.
Era o início de mais um dia.
Chegou a pegar a cueca amarela, mas resolveu vestir a laranja.
Sem porque.
Um café preto para livrar-se de qualquer resquício de sono e 10 minutos de caminhada até o ponto de ônibus mais próximo.
O dia passou como todo dia.
Hora após hora.
Como sempre, suas mãos doiam, suas pernas também.
Aquela era uma sexta-feira, e Antônio permitiu-se uma dose.

Ela vestia vermelho.
Andava tão graciosamente que parecia flutuar.
Quando seus olhares se cruzaram tudo estacionou.
Os sorrisos encaixaram-se perfeitamente.
Na manhã seguinte Antônio vestia sua cueca vermelha.
Na seguinte, a verde.
A paixão tornava-se a cada dia mais intensa.

Em algumas semanas, Isabela já havia se mudado para a casa de Antônio.
Agora limpa. Arrumada.
Ele comia melhor.

Saiu para trabalhar como o fazia todos dias.
Mas a vida se mostrava menos amarga.
Vestiu sua cueca azul naquela manhã.
Contava os minutos para estar de volta e encontrar à amada.
A dor se esvaia diante da vontade de retornar à morada.

Ao chegar ao lar, uma infeliz surpresa.
O pacote de cuecas pretas voou pela janela antes de qualquer coisa ser dita.
Uma ofensa.
Isabela não teve a chance de explicar-se.

O amor acabou.
O romance acabou.
A mudança acabou.
Tudo acabou.

A vida seguiu amarga.
E as cuecas, coloridas.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Coisa de Apaixonar

É... Dublin inspira.
Cheguei a essa conclusão mês passado, quando às 4 da manhã de uma quarta-feira, terminei de escrever e gravei minha primeira canção composta aqui.
Aumentem o volume, a gravação está baixa.
Espero que apreciem.

video

Coisa de Apaixonar

Ela faz do cinza céu, azul num piscar
Sorriso que encanta, de Dun Laoghaire a Alah
Música de amar


Crer na ilusão, sentir a pele, o olhar
Disistir é ir em vão, fugir, se enganar
Coisa de Apaixonar

Meu querer é só poder te ver ao acordar
Te beijar e fazê-la sorrir
Ter a tua luz a clarear meu caminhar
E cantar mil versos para ti

Veio feito vento
Desvendou meu sentimento
Fez paixão brilhar da noite pro dia
Esqueço do tempo
Você faz todo momento
Ser eterno e só ser e dizer

sexta-feira, 18 de julho de 2008

New Flatmates

Há cerca de um mês estou residindo em um novo endereço em Dublin.
ISFC - Custom Harbour House - Fasnet - Quarto Andar - Dublin 01.
Um apartamento um pouco mais antigo que o anterior, mas bem melhor localizado.
Agora vou andando ao centro da cidade.
Outra coisa boa é que aqui tem TV.
Sempre que posso, nas horas vagas, assisto um pouco.
É bom pra o inglês.
Somos cinco pessoas na casa, todos baianos.
Eu e Bete, que sobramos da outra morada, Nanda, um doce de pessoa, Xande, miserê da Bahia, namorado de Nanda, e Vini, o tricolor sofredor.
A galera é astral!

















Xande, Nanda, Vini, Bete e Tico

sábado, 12 de julho de 2008

Insônia

1 a.m.
Ele chegou cedo aquela noite.
Queria dormir logo.
Fugir.
Prontamente deitou-se.
Mas as vozes insistiam em adentrar seus ouvidos.
Virou-se.
Cobriu-se.
Descoubriu-se.
4 a.m.
Os raios de sol começaram a invadir o seu quarto.
Suas palpebras, já cansadas, não resistiram.
6 a.m.
Despertou do sonho.
O sabor amargo de mais um dia já estava em sua boca.
Ergueu-se.
Agradeceu.

sábado, 5 de julho de 2008

Escócia

A partir de agora, de tempos em tempos, me dedicarei a postar a respeito das viagens que tenho realizado na Europa.

Pra começar: Escócia.

Visitei o país do "Kilt" em abril e conheci duas de suas das principais cidades, Glasgow e Edimburgo.

A Galera: Eu, Brunão, Didinha e Jonny.
















GLASLOW

Apesar de ser a terceira maior cidade do Reino Unido, oferece pouco aos turistas, pelo menos esta foi a minha impressão.
Muitos prédios, avenidas e rodovias e pouca beleza.
Dá pra notar que trata-se de uma cidade bastante comercial.
Suas ruas são recheadas de lojas, bares, restaurantes, etc.
Fiquei lá por cerca de 6 horas.
Visitei o Jardim Botânico, o KelvinGroove Park e uma rua famosa, cercada por grifes, que não consigo me lembrar o nome.
O Jardim Botânico é bacana, mas acho que seria mesmo interessante se plantas, flores ou árvores me chamassem a atenção. No final da visita já não aguentava ver mais verde.


Jardim Botânico de Glasgow
















O Kevin Park é bem parecido com os parques que encontramos em toda a Europa, se destaca apenas pelo tamanho, enorme!
A rua das grifes é bem movimentada e encotra-se de tudo por lá. É interessante também a presença de artistas de rua em busca de uns trocados.
Depois disso, já eram mais ou menos 4 da tarde e resolvemos, eu e meus compranheiros de aventura, rumar para Edimburgo.


EDIMBURGO

Acho que charme é a palavra que melhor define Edimburgo.
Uma cidade linda, cercada de história e belezas naturais.
Bem planejada, bem organizada.
Ruas que remontam séculos atrás.
Outras que evidenciam o que há de mais moderno.
Gostaria de destacar três locais que não podem deixar de ser vistos por quem vai a Edimburgo.


Eu na tentativa de transmitir o charme que contagia todos que vão à cidade.

















01. O Castelo
A mais grandiosa construção que já vi até hoje.
Foi realizada há séculos atrás e mantém sua estrutura praticamente intacta.
O interior parece uma pequena vila. Uma pequena cidade construída dentro dos muros.
Além disso, a forma como o castelo é turisticamente explorado é incrível. Muito organizada.
Os museus, incontáveis, remontam toda história escocesa.
Pra completar, uma vista indescritível de toda a cidade e sua costa marítima.
O Castelo de Edimburgo é algo imperdível para quem vai à Escocia.




















video

02. A Câmera Obscura
Um prato cheio para quem gosta de física ou é curioso por natureza.
Difícil descrever. Só indo pra saber como é.
E vale a pena!


03. O National Monument
Fica no topo de uma montanha que se extende no meio da cidade.
É preciso andar um pouco e ter fôlego na subida.
Além do monumento, que é bem bonito, a vista de toda a cidade é fantástica.
Lá de cima dá pra vê Edimburgo, as outras montanhas que se localizam ao redor da mesma e ainda o litoral!
Sem igual. O por do sol é imperdível!


terça-feira, 1 de julho de 2008

New Job

Há mais ou menos um mês mudei de emprego.
Depois de praticamente um semestre no Café Costa (http://www.costa.co.uk/) resolvi encarar um novo desafio.
Agora trabalho no Dobbins, uma empresa que organiza corridas de cachorro em Dublin.
As corridas acontecem 6 vezes por semana, de segunda a sábado, em dois estádios, Shelbourne Park e Harold's Cross.
Segue uma foto de Shelbourne.

















É cultural na Irlanda e no Reino Unido este tipo de evento.
A clientela é bastante fiel e derrama dinheiro nas apostas.
Trabalho sozinho no café da arena.
Isso é muito bom por dois motivos:
1. Tenho que me virar no inglês. Inclusive aprendi muita coisa nova desde que comecei lá.
2. Não tenho um chefe me pentelhando o tempo todo. O meu gerente normalmente só me encontra na abertura e no fechamento do caixa, pra conferir a grana.
A experiência tem sido boa.
Lido com pessoas de todos os tipos e idades.
Acreditem, os pais levam os filhos aos estádios e os encorajam a apostar!
De segunda a quarta o movimento é razoável, com alguns picos durante a noite.
Às quintas, sextas e sábados: Busy, busy, busy!
Não paro um instante. Tem momentos em que o balcão fica uma zona.
Um bocado de gente me pedindo as coisas ao mesmo tempo.
Aí é ouvir, servir, pegar o dinheiro, registrar, dar o troco e já partir pro próximo!
O detalhe é que não tem fila, ou seja, uma desordem total!
Mas tenho me virado bem.
Conquistei até a simpatia de alguns clientes, minhas gorjetas vem aumentando.
Já dá pra pagar o lanche depois da cansativa jornada de trabalho.
Não poderia concluir o post sem uma foto.
Segue abaixo. O detalhe é a fardinha, gravata e tudo mais!